O que é Prebiótico? E para que serve?

Para melhorar a saúde e o desenvolvimento dos animais de estimação (sejam eles peixes, aves, répteis, roedores, cães, gatos etc) alguns ingredientes, classificados como aditivos, são adicionados aos alimentos.

Dentre esses aditivos, podemos destacar o prebiótico que é definido como ingrediente alimentar não digerível por enzimas, sais e ácidos produzidos pelo organismo. Os prebióticos são aditivos naturais (carboidratos não-digeríveis) que podem ser incluídos na alimentação sem restrição.

A ação do prebiótico é estimular o crescimento e/ou atividade de uma ou mais bactérias benéficas da microbiota (ou flora) intestinal e das bactérias que estão relacionadas ao sistema imune, diminuindo a presença de patógenos (microrganismos capazes de causar doenças) no intestino. Outra ação dos prebióticos no intestino é a de aumentar a absorção dos nutrientes.

Os prebióticos mais utilizados são: inulina, frutooligossacarídeos (FOS) e mananoligossacarídeos (MOS).

A inulina é encontrada em uma variedade de grãos comestíveis, em frutas e vegetais, como por exemplo: trigo, alho, alcachofra, chicória, cevada e banana.

O frutooligossacarídeos (FOS) é uma fibra prebiótica natural, produzida a partir da sacarose.

Os mananoligossacarídeos (MOS) são derivados da parede celular da levedura Saccharomyces cerevisae.

Na semana passada falamos sobre os probióticos e suas vantagens na alimentação dos animais. A ação conjunta do probiótico e do prebiótico (chamada de simbiótico) ajuda a manter os animais saudáveis. Nesta relação o prebiótico serve como fonte de energia para as populações de microrganismos (os probióticos), juntos melhoram a sobrevivência e o estabelecimento das bactérias benéficas no trato intestinal do animal, ajudam a absorver melhor os nutrientes dos alimentos ingeridos e aumentam o sistema imune.

Em todos os alimentos Nutricon para animais de estimação utilizamos o prebiótico Mananoligossacarídeos e na linha de alimentos super premium e premium para peixes de estimação utilizamos o conceito do simbiótico.

Texto: Samara Mostafa

Zootecnista da Nutricon

Revisão: Ana Murcia e Gabriela Sola

Bibliografia:

Butolo, J. E. Qualidade de ingredientes na alimentação animal. 2010. 2a Edição. Colégio Brasileiro de Nutrição Animal. Campinas.

Mouriño, J.L; Vieira, F. N; Silva, B. C; Jesus, G. F. A; Bolivar, N. C; Prebióticos na Aquicultura. Panorama da Aquicultura. Rio de Janeiro. Edição 128. 2011.

Post anterior
Quais os benefícios de usar probiótico na alimentação dos animais?
Próximo post
Por que utilizar antifúngico nos alimentos?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.
Você precisa concordar com os termos para prosseguir

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.
Você precisa concordar com os termos para prosseguir

Menu